0%
Caution: JavaScript execution is disabled in your browser or for this website. You may not be able to answer all questions in this survey. Please, verify your browser parameters.

A PANDEMIA DE COVID-19 E OS SEUS EFEITOS

A Humanidade está a viver um momento único na história, com consequências sérias a nível individual, das famílias e da Sociedade. Os tempos vindouros serão da maior importância para entendermos melhor o que nos tem acontecido, no seguimento dos acontecimento inesperados, resultantes do confinamento devido ao COVID-19.

Quem somos?

Convidamo-lo a participar num projecto desenvolvido por um grupo de profissionais em Saúde Pública e Mental da Universidade do Porto e da Universidade Europeia (Portugal), da Universidade de Malta (Malta/Itália), Salud Mental Hospital Universitario San Cecilio (Espanha), Mid Sweden University e University of Gävle (Suécia), University of West Attica (Grécia), Association of Domestic Violence Intervention Programs (EUA), University of Central Lancashire (Grã Bretanha), Kolkata Haematology Education and Research Initiative (Índia) and Centre for Injury Prevention and Research (Bangladesh).

Antes de decidir se quer participar, é importante que perceba o motivo pelo qual este estudo está a ser levado a cabo, porque estamos a pedir a sua colaboração, o que o estudo irá significar para si, e como a sua informação será usada. É também importante saber que, para participar, tem de ter mais de 18 anos.

Porque estamos a fazer este estudo?

Estudos anteriores mostraram que as pandemias têm um efeito adverso na situação de vida das pessoas e no seu bem-estar. Os dados recolhidos sobre estas matérias servem de enquadramento para o desenvolvimento de medidas adequadas e eficientes para lidar com as reacções face à pandemia do COVID-19.

Porquê participar?

Estamos a estudar pessoas de diferentes países, independentemente de estarem ou não infectadas pelo COVID-19. Assim, solicitamos a sua colaboração porque é fundamental saber os efeitos desta pandemia no presente e futuro.

O que lhe é pedido?

Se aceitar participar no estudo, após ler o consentimento informado, ser-lhe-á pedido que responda a perguntas sobre diferentes aspectos do bem-estar, interacções sociais, dados sociodemográficos e o coronavírus.

É obrigatório participar?

A sua participação é voluntária e pode desistir a qualquer momento. A recolha de dados irá decorrer nos próximos 3 a 5 meses, e será feita com garantias de estrita confidencialidade, e de acordo com a legislação de protecção de dados.

Se decidir participar, escolha a opção “Tenho mais de 18 anos e quero participar voluntariamente neste estudo” na próxima página.

Pode-se retirar do estudo?

Depois de iniciar o estudo, não poderá retirar suas respostas porque sua participação no estudo é completamente anónima. Nenhum dado pessoal, nem seu nome, email ou endereço IP são recolhidos.

Riscos potenciais

Responder a perguntas sobre a pandemia de coronavírus pode ser perturbador. Se assim o entender pode passar à frente qualquer pergunta que não deseje responder.

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Os seus dados serão recolhidos, processados e analisados em estrita conformidade com a Lei Europeia de Privacidade e Segurança de Dados, o RGPD (Regulamento Geral de Proteção de Dados (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de abril de 2016, sobre a proteção de indivíduos no que se refere ao tratamento de dados pessoais e à livre circulação desses dados, que revoga a Diretiva 95/46 / CE) e outra legislação aplicável ao tratamento de dados pessoais.

A pesquisa é organizada pelo Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP, Portugal) com a colaboração da Universidade Europeia (Portugal), da Universidade de Malta (Malta / Itália), do Hospital Universitario de Saúde Mental San Cecilio (Espanha). ), Universidade Mid Sweden e Universidade de Gävle (Suécia), Universidade West Attica (Grécia), Associação de Programas de Intervenção na Violência Doméstica (EUA), Universidade de Central Lancashire (Grã-Bretanha), Iniciativa de Investigação e Educação em Hematologia de Calcutá (Índia) e Centro para a Prevenção de Lesões e Investigação (Bangladesh).

Do ponto de vista jurídico, o ISPUP (Portugal) é responsável pelo processamento de dados pessoais ​​no âmbito deste estudo.

A sua privacidade e a proteção de seus dados pessoais são de grande importância para nós. O projeto foi analisado e será seguido pelo responsável pela proteção de dados no ISPUP.

Recolha de dados

O estudo abrange a recolha de vários dados pessoais, incluídos nas respostas ao questionário a seguir. As respostas avaliam áreas como antecedentes demográficos / socioeconômicos, experiências com o coronavírus, incluindo o estado de saúde e a experiência de bem-estar.

O ISPUP não recruta participantes diretamente. Esta tarefa foi delegada a cada parceiro do projeto. No entanto, o ISPUP fornece uma plataforma de armazenamento de informações onde os dados serão armazenados e analisados com segurança. Os dados recolhidos serão armazenados em servidores locais de propriedade do ISPUP e não serão compartilhados com terceiros. Apenas os investigadores autorizados pelo ISPUP e os parceiros (listados acima) poderão aceder aos dados. Todas as condições de confidencialidade e segurança física e computacional de seus dados são protegidas e garantidas, com medidas organizacionais e técnicas apropriadas adotadas para proteger e mitigar os riscos inerentes ao seu tratamento. Todos os dados recolhidos são totalmente anônimos. Os dados serão criptografados e de acesso controlado. A seleção dos dados a serem recolhidos e as questões da pesquisa foram decididas à luz de um princípio de minimização de dados e dos objetivos científicos do projeto de pesquisa.

Nenhum dado será recolhido sem o seu consentimento informado, e é por isso que solicitamos que o forneça aceitando participar antes de preencher os questionários. Portanto, assumimos que é capaz de consentir validamente. O questionário não é direcionado a nenhuma seção específica da população. Em todo o caso, as perguntas podem ser respondidas em qualquer ambiente, por pessoas de diferentes idades e culturas. No entanto, pessoas com menos de 18 anos de idade NÃO devem responder às perguntas. Os dados estatísticos serão divulgados apenas de forma agregada e de maneira a respeitar o seu anonimato.

Responsabilidade conjunta pelo processamento de dados

O ISPUP e parceiros regularam as suas respectivas responsabilidades em relação ao processamento de dados pessoais, de acordo com as condições sumarizadas em seguida. O ISPUP assegurá a coordenação científica do projecto, definirá os principais objectivos científicos, os assuntos/temas associados e os dados a serem recolhidos através de um questionário, bem como a análise de dados e a produção das principais conclusões da investigação. Contudo, este trabalho será feito em colaboração com os parceiros. O ISPUP será também responsável pela definição, implementação e manutenção dos principais meios técnicos envolvidos na recolha e conservação dos dados, assim como os métodos de processamento de dados a serem implementados. o ISPUP, como ponto de contacto, terá ainda a responsabilidade principal de responder às solicitações submetidas por participantes e parceiros, com a assistência e apoios necessários dos parceiros,

Direitos do titular dos dados

Como detentor dos dados, a lei reconhece os seguintes direitos: Informação, Acesso, Retificação, Exclusão, Portabilidade e Limitação de processamento. O exercício de alguns desses direitos pode ser removido ou limitado, em conformidade com os termos e condições previstos na legislação aplicável na UE e ao nível nacional, na medida em que esse exercício possa impossibilitar ou prejudicar seriamente a consecução dos objetivos para o propósito da investigação, e apenas, na medida do necessário para a prossecução desses fins.

Estes direitos devem ser exercidos com o responsável de dados do ISPUP, através de e-mail: secretaria@ispup.up.pt. O ISPUP designou um Oficial de Proteção de Dados, que pode ser contactado por e-mail: dpo@ispup.up.pt. A lei também confere o direito de registrar reclamações perante uma autoridade supervisora Europeia, e, em Portugal, a autoridade competente é a CNPD (www.cnpd.pt).

As autoridades competentes em outros países são: Autoridade Sueca de Proteção de Dados (https://www.datainspektionen.se/); Agência Espanhola de Proteção de Dados (https://www.aepd.es/es); Autoridade Italiana de Proteção de Dados (https://www.garanteprivacy.it/home); Autoridade Helénica de Proteção de Dados (https://www.dpa.gr/); Gabinete do Comissário da Informação (https://ico.org.uk/); Ministério de Eletrónica e Tecnologia da Informação (http://meity.gov.in/); Lei de Segurança Digital (https://www.cirt.gov.bd/); e Leis e Regulamentos de proteção de dados (consulte https://iclg.com/).